Publicado em 16 de Fevereiro de 2021 | 07h47m

Fiuk precisa de remédios para depressão e está em abstinência

​Segundo a equipe, Fiuk é diagnosticado com TDAH, depressão e ansiedade


Angelo Terto



A equipe de Fiuk soltou uma nota na conta oficial do artista no Facebook para rebater brincadeiras, piadas e o que eles chamam de "ódio" com relação a algumas atitudes dele no BBB 21.

Segundo a equipe, Fiuk é diagnosticado com TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), depressão e ansiedade. E ele estaria em abstinência de remédios.

"Os transtornos psicológicos e seus estigmas jamais devem ser motivos de zombaria. No programa, ele está em evidente abstinência de medicações para a depressão e ansiedade. Isso vem afetando muito o estado psíquico dele", diz a nota.

Junto com a nota, foi publicado um vídeo em que Caio diz que ele não entendeu uma orientação dada por ele. Logo, Juliette e Karol Conká explicam que ele tem a doença e pode não interpretar corretamente algumas informações.

Segundo a equipe, o principal sintoma do TDAH é a desatenção extrema, que pode resultar na impercepção de coisas ditas como "óbvias". E que as pessoas na internet o têm julgado de forma errada.

"Memes e piadas sobre a aparência e as condições mentais do Fiuk são de cunho extremamente desrespeitoso. A maneira que a sociedade sente prazer em brincar com a dor do próximo é devastadora. Esses transtornos o deixam isolado e causam intensas crises de choro", diz. Recentemente, um meme de nome Fiuk fantasma fez até Tiago Leifert se divertir.

Até mesmo o cigarro seria uma forma de válvula de escape para ele lidar com as frequentes recaídas emocionais, diz a equipe. Também falam que ele vem sofrendo com "pressão, exclusão e perseguição" nos últimos dias.

"Todo o ódio gratuito que ele tem sofrido nos deixou extremamente preocupados em como ele reagirá com tudo isso", finaliza a nota.
Procurada para saber a respeito de um possível veto aos medicamentos de Fiuk, a Globo anda não havia respondido às solicitações até a publicação deste texto.

Fonte: O Tempo 







COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE